…” A força da(s) Palavra(s)”

 
Dr Augusto Carreira MEDIUMAugusto Carreira
Pedopsiquiatra
Presidente da Associação Portuguesa de Psiquiatria da Infância e Adolescência
4 de Maio de 2013
 

Ao ler os depoimentos dos ilustres colegas que vão sendo publicados nesta página, sinto que todos eles transmitem uma experiência única e irrepetível: o gozo de partilhar com João dos Santo o seu saber, o seu entusiasmo e sobretudo o seu prazer de viver.

Não tive esse privilégio. Os meus contactos com ele foram infelizmente demasiado breves. Apesar disso, transporto comigo desde que o seu nome entrou na minha vida, a imagem de um Homem de coragem que ousou enfrentar um poder que exigia vénias e pactos, obrigando a que muitos abdicassem da força das suas convicções e da liberdade do seu pensamento.

Pobres desígnios.

Hoje, ao comemorarmos o centenário do seu nascimento, percebemos bem como as suas ideias se impõem como uma torrente imparável que rebentou diques e barreiras, inundando os nossos espíritos, refrescando-nos, inspirando-nos e sobretudo transmitindo uma mensagem clara:

Vale sempre a pena lutar por aquilo em que acreditamos!

Pertenço a uma geração que conheceu João dos Santos sobretudo através daqueles que com ele privaram e que assumem orgulhosamente a sua condição de discípulos. Recordo a vivacidade e a admiração, tantas vezes emocionada com que Maria José Vidigal falava do seu Mestre; e se refiro M. J. Vidigal é tão só porque foi essencialmente com ela que tive o privilégio dessa partilha quase quotidiana.

Ao brilhantismo do Mestre juntava-se não só a admiração e o respeito da discípula mas também a humildade de quem se sente portadora de um Saber “que não se aprende nos livros” mas que é urgente transmitir.

Vivemos numa época de desperdício da(s) Palavra(s). Interrogo-me cada vez mais sobre o valor da comunicação oral, sobretudo quando somos inundados diariamente pelos “media” com torrentes de informação criando um equivoco, em meu entender penoso, entre informação e Conhecimento, mergulhados numa vacuidade discursiva. Cada vez parece haver menos espaço para a reflexão e para a crítica.

Para João dos Santos, a Palavra tinha um valor inegociável e único. Defendia que a transmissão do conhecimento se deveria fazer sobretudo através da palavra dita, falada, da comunicação oral; da Palavra usada com rigor, que traduzisse a riqueza do pensamento, mas que fosse essencialmente um veículo de afectos.

Não admira pois que a sua Palavra tenha chegado até aos dias de hoje com uma força que nos continua a alimentar, que nos encoraja e conforta.

E se tive o privilégio de receber ainda que por interpostas pessoas o legado da Palavra de João dos Santos, tenho ainda o privilégio de conviver de perto com uma geração de jovens pedopsiquiatras que nasceram já na época da informação instantânea, da vertigem da comunicação supersónica; que vivem cercados por uma ciência(?) que se afirma rigorosa, que recorre aos mais sofisticados métodos de investigação, mas que amiúde esquece uma verdade essencial e insubstituível: O verdadeiro conhecimento do Homem e do seu sofrimento, é o que resulta da sua relação com o Outro, que o escuta, que “ouve” a sua palavra ou o seu silêncio. Que é capaz de dar significado a esse espaço único de intersubjectividade criado na relação entre dois seres humanos.

E esse convívio permite-me assistir com alguma emoção, ao entusiasmo com que muitos desses jovens colegas que não conheceram nem se cruzaram com João dos Santos abraçam as suas ideias. De poder testemunhar a força reprodutora do seu pensamento, capaz de se desdobrar em novas e inspiradoras perspectivas. Este será porventura o seu maior legado, porque é este pensamento capaz de potenciar e gerar novos horizontes, que vale verdadeiramente a pena.

Lisboa, 4 de Maio de 2013
 
 
 
© 2013 joaodossantos.net. Todos os Direitos Reservados / All Rights Reserved.

 
 
 
 
  • Coloque aqui os seus dados para inclusão na lista de divulgação ou para receber outras informações

     
  • Finalista do Prémio Jabuti 2017

     

     

    O livro Histórias de pedagogia, ciência e religião: discursos e correntes de cá e do além-mar, da coleção História da Educação, editado pelas Edições UFC, é um dos finalistas do Prémio Jabuti 2017.

    Entre outros, este livro contém trabalhos do Professor Doutor Jorge Ramos do Ó, “Para uma Genealogia do Currículo: Ordem e Método na Edificação do Modelo Escolar Moderno” [p 21-50], e da Professora Doutora Patrícia Helena Carvalho Holanda, “João dos Santos: a Psicologia, a Psicanálise e a Pedagogia” [p 71-90].

    Organizada por Maria Juraci Maia Cavalcante, Patrícia Helena Carvalho Holanda, Francisca Geny Lustosa e Roberto Barros Dias, a obra traz recortes temáticos e marcos importantes para o estudo da educação brasileira através da análise de discursos e práticas pedagógicas intercontinentais no contexto contemporâneo.

    Uma realização da Câmara Brasileira do Livro (CBL), o Prêmio Jabuti está em sua 59ª edição. Atualmente é a maior premiação do livro no País e conta com 29 categorias. O finalista das Edições UFC concorre na categoria “Educação e Pedagogia”.

    Para mais informações siga a seguinte ligação http://www.ufc.br/noticias/noticias-de-2017/10325-livro-editado-pela-edicoes-ufc-e-finalista-do-premio-jabuti-2017.
     
     

     

     
     
  • Proposta de Lei n.º 34 / XIII – Definição de ATO MÉDICO

    O XXI Governo Constitucional, no seu programa para a saúde, estabelece como prioridades aperfeiçoar a gestão dos recursos humanos e a motivação dos profissionais de saúde, apostando em novos modelos de cooperação entre profissionais de saúde, no que respeita à repartição de competências e responsabilidades e melhorar a qualidade dos cuidados de saúde, apostando em modelos de governação da saúde baseados na melhoria contínua da qualidade de garantia da segurança do doente… (Siga esta LIGAÇÃO para aceder ao documento de Proposta de Lei n.º 34/XIII.).

    Existe actualmente uma proposta de diálogo relativo à formulação do Artigo 5 desta proposta de lei, em que se define o ATO MÉDICO.

     
     
     

     
     
  • Cecília Menano, João dos Santos e Maria Emília Brederode Santos em conversa

    Clique na seguinte ligação para para visualizar este vídeo do Instituto de Tecnologia Educativa – RTP (1975) A Escolinha de Arte de Cecília Menano – com Cecília Menano, João dos Santos e Maria Emília Brederode Santos, que foi muito generosamente disponibilizado pelo Dr Daniel Sasportes (19 minutos). [Clique nesta ligação]

     


  • Programa IFCE no Ar, Radio Universitária

    Entrevista sobre o andamento do curso à distância “Introdução ao Pensamento de João dos Santos”

    Entrevista gravada com a coordenadora do curso “Introdução ao Pensamento de João dos Santos”, Professora Patrícia Holanda da Linha de História da Educação Comparada da UFC (Universidade Federal do Ceará), com o Doutor Luís Grijó dos Santos (filho de João dos Santos), e a coordenadora pedagógica do curso Professora Ana Cláudia Uchôa Araújo da Directoria da Educação à Distancia do IFCE (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará). A entrevista foi realizada pelo jornalista Hugo Bispo do Programa IFCE no Ar em 3 de Novembro de 2016.

    Para ouvir a gravação desta entrevista clique nesta ligação.

     


     

  • “Histórias de mulheres” é finalista da 58º edição do Prêmio Jabuti

     

    O livro "Histórias de mulheres: amor, violência e educação", organizado por Maria Juraci Maia Cavalcante, Patrícia Helena Carvalho Holanda e Zuleide Fernandes de Queiroz, é finalista na categoria "Educação e Pedagogia" da 58ª edição do Prêmio Jabuti, da Câmara Brasileira do Livro, considerado o mais importante prêmio do livro brasileiro.

    A obra, lançada em 2015 pelas Edições UFC, conta, entre outros, com artigos da Professora Patrícia Helena Carvalho Holanda e do Professor Pedro Parrot Morato “A Mulher e a Família à Luz do Referencial Santiano na Perspectiva Comparada Brasil-Portugal”, e da Dra Clara Castilho “A Mãe e a Escola como Promotores de Inclusão Social das Crianças com Necessidades Especiais na Abordagem de João dos Santos”.

    Maria Juraci Maia Cavalcante e Patrícia Helena Carvalho Holanda são professoras da Faculdade de Educação da UFC. A obra pode ser adquirida na Livraria da Universidade Federal do Ceará (área 1 do Centro de Humanidades – Av. da Universidade, 2683, Benfica).

    Para mais informações clique nesta ligação.

     


     

  • © 2013-2017 joaodossantos.net. Todos os Direitos Reservados / All Rights Reserved